domingo, 13 de março de 2016

Dicas para fazer um arroz soltinho e saboroso! Receitas para a família e pratos especiais para crianças!!!

Se você nunca fez, ótimo, já que partiremos do início
para você não perder nenhum detalhe.

Daremos versões mais completas com risotos, paellas,
charutinhos, arroz misturinha e muito mais, tudo neste mesmo blog.
Como brasileiro adora arroz com feijão, não podemos deixar de fora essa beleza, né? Primeiro vamos falar da escolha do arroz. Sempre observe se eles têm tons perolados, pois são mais soltinhos e possuem mais nutrientes, se estão inteiros e o mais limpo possível, já que os quebradiços vão deixar o arroz mais empapado, por exemplo. Pode até comprar a granel em feiras, mas teria de saber a procedência. Melhor comprar marcas conhecidas.

Vamos às dicas e depois às receitas?


Depois das dicas abaixo, receitas da Doce Lar e dicas sobre pratinhos infantis!

- A maior parte dos chefs recomenda o uso de 2 partes de água fervente para cada parte de arroz. Lembre-se que, ao ferver, perde-se um pouquinho de água – estão sempre ponha um tiquinho a mais para ferver. Segundo outros,no caso do arroz agulhinha, o ideal é usar 1 ½ partes de água para uma de arroz, para que os grãos fiquem "al dente" (cozidos, porém firmes) e muito mais soltinhos.

- Como o arroz tende a aumentar uns 50 a 60% do seu volume cru após o cozimento, pense em uma panela que comporte esse volume. Pode parecer dica besta, né? Mas não o é para quem está começando. Por isso a panela usada não pode ser muito pequena.

- Algumas panela têm fundo mais grosso e, por isso, retêm mais calor e faz cozinhar o arroz, mesmo depois de desligado o fogo. Cuidado então para não queimar o arroz.

- Lave o arroz para tirar o excesso de amido e realizar a assepsia. Quanto mais branquinho, mais terá amido. Lavar antes também ajuda a acelerar o cozimento. Cada tipo de arroz tem seu tempo. Depende do seu fogão e de sua panela também. Os mais jovens cozinham mais depressa também.

- Seque o arroz na peneira, antes de levá-lo para a panela. Se ele ainda estiver bem úmido, refogue um pouco mais para os grãos ficarem sequinhos. Quando começarem a dar uma “estaladinha”, é porque está na hora de acrescentar a água. O ideal é cozinhar em água quente e não por água fria durante o cozimento. Segundo alguns chefs, a água do cozimento pode ser ou não fervente. Dizem que não fará diferença no resultado final. Uma vez tive de acrescentar um pouco de água a mais (arroz paboilizado) e não dava tempo de ferver. Então pus filtrada e deu certo. Mas sempre começo com a água quente e procuro usar sempre quente, se for preciso. Normalmente só uso a água fervente inicial e pronto.

- No caso daqueles grãos de qualidade inferior, como é mais difícil deixar soltinho, é melhor usar a técnica de pôr água fervente com sal e mais água do que o normal, pois, ao notar que está cozido, basta escorrê-lo. A forma mais usada em nosso país é a de secagem e absorção da água. É nesse caso que se deve entrar com o arroz para refogar após o refogado de cebola e alho e somente depois pôr a água quente na proporção de 2 por 1.

- Cozinhe o arroz com a panela fechada ou praticamente fechada. Tire a tampa apenas no momento em que ele for secar (quando já estiver cozido, mas restar um pouquinho de água entre os grãos).

- Ao refogar o arroz antes, você sela e lubrifica os grãos e eles ficarão mais soltinhos ao final. Antes de pôr o arroz, refogue a cebola e o alho (sem aquela raizinha do meio) nesse óleo. Lembrando... a proporção média mais usada é de 1 colher (sopa) de óleo para cada xícara (chá) de arroz. Pode usar óleo de arroz ou de coco. E não exagere para não encharcar o arroz. Pode ser um fiozinho só.

- Se optar por não refogar, ferva a água com os temperos para ferver e somente depois de fervendo, pode-se pôr o arroz já lavado e escorrido. É a forma mais leve e saudável.

- Em qualquer caso, não mexa o arroz durante o cozimento, para não machucar os grãos e ter o efeito papa, papinha ou papão. Depois de o arroz ficar pronto, solte os grãos com um garfo para liberar o vapor que ficou entre eles, dentro da panela.


- O momento certo de desligar o fogo é quando ainda restar um fundinho de água na panela. O engraçado é que ele forma “buraquinhos”, pois estará praticamente seco, mas não totalmente. É como se tivesse com um “vapor lateral”. É só desligar e deixar tampado.

- Quem quiser manter o arroz quentinho porque os outros pratos ainda não ficaram prontos, embrulhe a panela em um jornal já lido. Depois, é só dar mais uma mexida de leve com o garfo, para separar os grãos, e ele se manterá soltinho, soltinho.

- O arroz pode durar até 1 semana na geladeira, se bem guardado. Ele dura menos se a cebola tiver sido mal refogada, pois azedará, ou se você guardar o arroz frio na geladeira, pois, ao esfriar no calor ambiente, poderá dar margem à proliferação de bactérias. Bem, mas concordo que só guardamos a sobra do almoço, por exemplo. Somente por necessidade de antecipar alguma comida, é que as pessoas podem fazer e guardar o arroz ainda quente. O importante é guardar imediatamente depois o que sobrou do almoço.

- Caso use, você pode trocar o óleo por óleo de coco (que não perderá as propriedades no cozimento) ou azeite (neste caso, só no fogo médio a baixo, para não perder as propriedades).

E as dicas para arroz integral? Além das mesmas acimas, o que muda?

Bem, vamos lá...

1 – Deixá-lo de molho – O arroz integral não é como o arroz comum ele demora mais para cozinhar, sendo assim deixá-lo de molho é o ideal, além disso deixá-lo de molho ajuda a neutralizar o ácido fítico contido nos grãos. O ideal é deixar de 6 a 7 horas de molho, parece muito mas é importante esse tempo.

2 – Não refogar o arroz – Diferente do arroz comum o arroz integral não deve ser refogado, esse procedimento é feito no arroz comum para selar os grãos e não liberar amido e evite que que vire papa mas o arroz integral possui uma película pois possui casca e se selar essa película o que vai acontecer é que o arroz não vai cozinhar.

3 – Refogar o alho e a cebola – Ao contrário do arroz o tempero deve ser refogado para que fique um sabor gostoso, refogar o alho e a cebola antes de acrescentar o arroz traz um sabor bem especial ao seu prato.

4 – Acrescente legumes – Qualquer prato fica melhor com legumes, eles são saudáveis, fazem super bem para a saúde e podem trazer um toque bem especial no seu arroz acrescente tomates,cenoura, cebolinha verde e o que mais vir a sua cabeça, com os legumes não há limites.


5 – Não exagere no sal – O excesso de sal pode ser prejudicial a saúde, de nada vale comer um arroz saudável mas excessivamente salgado. Para não ter erro na hora de colocar o sal o ideal é que coloque pouco no início do cozimento e quando estiver preste a ficar pronto (caso precise) acrescenta mais um pouco. Algumas pessoas usam aqueles temperos completo que já possuem uma grande quantidade de sal então é bom ficar atento a isso, caso use o tempero não há necessidades de colocar mais sal.

Juntei as dicas pesquisando matérias com especialistas e
purpurinei com a minha própria experiência.

Renata Lucia Bottini, autora do livro Arroz – Histórias, Variedades e Receitas (ed. Senac)
Alex Caputo, do Atelier Gourmand, em São Paulo
Gabriel Lourenço, professor da Escola de Gastronomia UCS-ICIF, em Flores da Cunha
Marcelo Angele, professor de gastronomia do Senac SP
Renato Caleffi, do restaurante orgânico Le Manjue Bistrô
Fátima de Castro, chef do paulistano Tabuleiro do Acarajé, em SP
Carole Creme, confeiteira do La Vie en Douce, SP
Fernanda Zanovello, nutricionista


Então qual arroz devo escolher????



Conheça AQUI 9 tipos de arroz e diversas receitas com todos eles


Abaixo, uma tabela comparativa sobre eles

Veja, neste vídeo, como fazer o arroz soltinho!


Agora, aproveite estas receitas com arroz da Doce Lar Para Você!

Risoto de Forno do maridão


Arroz Negro


Arroz de camarão cearense com macaxeira


Arroz X-Tudo


Arroz com sobras de bacalhau


Risoto arbóreo com camarão


Arroz com frango desfiado


Arroz delícia de prático


Torta de arroz com iogurte e o recheio que quiser


Arroz de bacalhau da Zuleide


Arroz de Carreteiro Junino


Arroz com camarão e caldo de peixe






Trouxinha/Charutinho de repolho com arroz



Quer fazer arroz colorido?

No caso do arroz vermelho, use o arroz do cozimento da beterraba.
Se quiser verde, pode bater espinafre com couve no liquidificador (e coar ou não).
Para ficar amarelo, pode usar açafrão. E assim por diante.

 

Pra finalizar, umas dicas para as queridas mamães
deixarem os pratos de arroz de seus filhos bem mais alegres e nutritivos!

Comida divertida

Pratos decorativos nutritivos

Estimulando o apetite de seus filhos

p1-2
 
comida divertida ursinho omelete
comida divertida peixe







VÍDEOS COM PRATOS INFANTIS


Espero que as dicas e as receitas tenham sido úteis pra vocês!


Uma ótima semana!!!

Beijinhos da Sil!!! :-)

0 comentários:

Postar um comentário