sexta-feira, 2 de outubro de 2015

E a viagem continua! Muitas dicas culturais e gastronômicas para turistas em Recife/Olinda! Monte seu roteiro!

E a viagem continua....
De João Pessoa, chegamos em Recife rapidinho!



Veja essa postagem do Eixo Alternativo sobre 48h em Recife!

Bem, as próximas dicas servirão para quem quiser passar pouco tempo em Recife,
mas também para quem tiver tempo de sobra. 

Bem, vamos priorizar para quem tem pouco tempo e mesclar com sugestões adicionais para quem tem mais tempo e deseja demorar mais também em cada local. Para pouco tempo, podemos selecionar: passeio pelo Recife antigo, Praia de Boa Viagem, passeio de Catamarã, Shoppings e gastronomia local, que tal? Ah, claro, tem que passar em Olinda também, mesmo que rapidinho! 

OLINDA

RECIFE


 

DICAS PARA POUCOS DIAS, aqui vamos nós!!

Sugiro, no 1º dia, visitar ao Recife Antigo e Olinda para visitar Museus e espaços que registram e perpetuam a cultura pernambucana e fazer Umas comprinhas no Centro de Artesanato que fica no Marco Zero. Mas falo mais sobre isso tudo lá embaixo. Ah, chegue pouco antes da 9h para conversar com o pessoal do governo do estado que explica tudo que precisar. Se for numa segunda, inverta a ordem dos 2 dias: Destaque: na terça, há 2 lugares de visitação que não cobrarão entrada. Falarei mais adiante.

Agora é chegada a hora de almoçar! Escolha um dos restaurantes de que tratarei ao final desta postagem, a depender do local onde você preferiu ficar mais tempo (se for daquelas pessoas que ficam muito tempo em um lugar, com certeza, terá de almoçar no Recife Antigo – há diversas opções). De lá, você poderá ir para o Observatório (é de elevador) em Olinda. Se quiser, poderá visitar igrejas e museus ou ir somente a esse local para fotos e tomar um sorvete no caminho dele e comprar lembrancinhas, tirando fotos (da janela do carro mesmo) ao passar pelas ruas históricas. Mas há casas coloniais a serem fotografas no sobe-e-desce de ruas, o Convento São Francisco, a Basílica de São Bento e até feirinhas.... já à noite, poderá visitar o Shopping Recife – é mais antigo, mas é bem grande e dá para lanchar/jantar por lá mesmo. Vá para seu hotel descansar, pois o dia seguinte ainda promete!

Centro Histórico
 

Praça do Marco Zero, com seu Centro de Artesanato e a Caixa Cultural
 

Ainda no Marco Zero com o que tem ao redor
 

Embaixada dos Bonecos Gigantes

  

  

OLINDA: a cidade e a vista do Elevador Panorâmico de lá


   

Para o 2º dia, poderá começar com uma boa caminhada pela Praia de Boa Viagem. Embora a praia seja linda e a água do mar incrível nos convide a um mergulho, não faça isso. Sabe-se lá quando haverá um tubarão por ali. Depois de um banho (de chuveiro), preparando-se para almoçar no Parraxacá (mas isso é papo para mais adiante), não deixe de passar na Casa dos Frios para comprar o famoso BOLO DE ROLO tradicional. Tem com recheio de goiaba, com chocolate e doce de leite. O restante da loja é uma mistura de importadora alimentícia (e produtos nacionais diversos) com padaria requintada e produtos próprios.

De lá mesmo (Casa dos Frios ou Shopping – o mais cedo que der), reserve seu passeio de Catamarã e vá ao RioMar Shopping dar uma caminhada, enquanto não chega a hora do passeio. É muito bonito e bem grande, com lojas caríssimas, mas também outras para todos os bolsos. Vale ir lá! No caso do passeio de Catamarã, há 2 horários para você optar. Um deles (que acredito ser o melhor) é às 16h (Chegue em torno de 15 a 30min de antecedência). Depois de fotos, volte para o hotel, relaxe um pouquinho, tome um banho revigorante e vá para a noitada. Os detalhes sobre cada passeio estarão logo abaixo.

Bem, é mais ou menos isso aí, mas você tem outras opções e tudo depende do que você quer fazer na cidade e do tempo que tem. Nós chegamos para o almoço no RioMar Shopping (de onde tiramos foto da varanda), caminhamos na orla, depois de desfazermos as malas, pegamos uma esteira do hotel e, após um bom banho de piscina (vida difícil!!!), acompanhamos a Lua de Sangue” na varanda do hotel (de frente para a Av.­­­ da Boa Viagem), passamos 2 dias inteiros e saímos antes do almoço para irmos para Porto de Galinhas (PE) – essa praia merece um post à parte e será o próximo! Na prática, mudamos um pouco nosso roteiro, porque o 1º dia caiu na segunda, mas você entenderá direitinho....

Vista da varanda do RioMar Shopping
 


Paço do Frevo

 

Museu Cais do Sertão
 

 

 


Avenida Boa Viagem
(Fotos de mochileiros - não tirei - medo de assalto)
 


OLINDA: a cidade e a vista do Elevador Panorâmico de lá


   



VAMOS AOS DETALHES SOB­RE OS LOCAIS DE VISITAÇÃO

- Centro de Atendimento ao Turista – passamos por lá primeiro (era uma segunda-feira e nos informaram do que estava fechado – não é um bom dia para ir lá – e acabaram nos indicando para voltarmos no dia seguinte, já que seriam gratuitas as entradas do Museu Cais do Sertão e do Paço do Frevo. Voltamos lá no dia seguinte então)

- Embaixada dos Bonecos de Olinda – eles são bem atenciosos e nos detalham a história desses bonecos e onde eles foram usados (Brasil e exterior). Dá para tirar fotos com eles, inclusive com chapéus variados e/ou estilizados.

- Praça do Marco Zero – tiramos fotos no local ond­e fica o nome RECIFE, nessa praça, fotos de tudo ao redor, como a Caixa Cultura, o Centro de Artesanato e as esculturas, entre outros.

- Instituto Ricardo Brennand – é preciso atravessar em um barquinho para o outro lado.

- Museu Cais do Sertão – fui na terça-feira e a entrada era franca (abriu às 11h).

- Paço do Frevo – fomos na terça-feira e a entrada era franca. Havia escolinha com 2 turminhas. Foi uma graça ver a reação da menina e eles levam o maior jeito com as crianças. Ao final, o professor de dança, mostra a todos como se dança frevo.

- Paço da Alfândega ou Paço da Alfândega Shopping – não fomos. Vá só se tiver tempo sobrando ou mais dias....vale mais pela foto do lado de fora. Aqui poderá almoçar no La Douane, mas nada tem sido barato por aqui....

- Centro de Artesanato de Pernambuco – valeu a pena, pois comprei lembrancinhas com o preço mais em conta que lojinhas diversas (do próprio Recife Antigo e de Olinda).

- Elevador Panorâmico de Olinda ou o Alto da Sé – Custou 6 reais por pessoa para subirmos. Foram lindas fotos de lá. Muitas mesmo. Se tiver máquina fotográfica boa que aproxime, tirará fotos tipo cartão postal da igreja e coqueirais com mar. Vale a pena passar lá!

OBS: em Olinda, fomos andando em alguns espaços (de carro na maioria), tirando fotos, tomando sorvete, comprando artesanato no caminho do nosso foco que era o elevador panorâmico...acho que só precisa mais que isso se você tiver tempo a mais para passeios.

- Passeio de Catamarã (tínhamos reservado, mas, ao vermos as fotos do local, desistimos. Seriam 40 reais por pessoa. Não foi esse o problema e sim o que apenas veríamos, do lado de lá. Tá, seria o Recife Antigo para fotos, mas tivemos de priorizar, já que tiramos muitas fotos dessa parte do lado de cá mesmo. Um casal amigo nosso foi no das 16h e disse que estava tudo muito seco e que fedia. hà cadeiras para todos (por isso da reserva) e o guia explicou tudo direitinho, segundo eles. Para quem tem mais tempo e não programou nada fora de Recife, há passeios bem mais extensos eu pelo Capibaribe pela mesma empresa.

- Casa da Cultura (mesma proposta da EMCETUR de FORTALEZA, ou seja, prédio que abrigava antigo presídio hoje apresenta artesanato) – muito legal, mas já havia comprado o que queria no Centro de Atendimento ao Turista.

- Mercado São José (cheguei perto ao ir almoçar no Restaurante Leite, mas achei as ruas muito sujas, lotadas e o sol estava matando – desisti, porque não compraria mais nada e aquele centrão estava terrível. O restaurante, aos meus olhos de turista, está muito mal localizado, mesmo sabendo que é antigo e tradicional).

- Pátio São Pedro – um dos pontos mais animados do carnaval de Recife estava bem livre naquela segunda e nem parecia local de tanto agito e alegria. Vale uma passada somente se o tempo der (depende de quanto demorar em cada local).

- Há ainda aqueles bem procurados pelos apreciadores da história do estado: Oficina de Cerâmica Francisco Brennand, Memorial Chico Science e Fundação Gilberto Freire.

- Bairro de Casa Forte – tendo o Poço da Panela como seu núcleo mais antigo, fica na Zona Norte. Dizem que revela um Recife charmoso e desconhecido dos turistas. Não conheci.

...enfim, ficam as dicas aí para quem quiser desbravar a cidade e tiver tempo para tal.

Aqui tem outras dicas de outros também!


DICA SOBRE HOSPEDAGEM


 


A principal zona hoteleira é Boa Viagem, mas a ponta sul do bairro (PINA) é onde estão os hotéis mais novos. Também, a menos de 3km para dentro do Pina, está o RioMar Shopping. Por isso selecionamos esse bairro para pesquisa no Alugue Temporada e achamos um flat no20º andar, de onde apreciamos o belo luar pela varanda (vi que já quem se hospede lá para os fogos de final de ano). Veja aqui! Foi muito bom mesmo! Fica no Beach Class Executive (Av. Boa Viagem, 344). 



DICAS SOBRE OS RESTAURANTES

Parraxaxá – Restaurante gostoso, regional e que vale ser visitado no almoço (R$ 56,80/kilo). É do estilo do Mangai, mas com o colorido do Recife do Frevo. Vale dar uma “curiada”, como dizia a plaquinha disposta em cada mesa! Chegamos mais tarde e estava ainda tudo completo no buffet, embora cheio de clientes almoçando.

Restaurante Leitemuito tradicional, mas muuuito caro. Os pratos são individuais, com preço bem alto, mas dizem que não pode ir a Recife e não comer lá. A comida é deliciosa mesmo e o atendimento muito bom, mas fica numa região central da cidade péssima (sujeira e ruim para parar, mesmo com zona azul). É que todos dizem que é imperdível por se manter desde 1882 e ainda oferecer culinária de qualidade. Fica relativamente próximo do Mercado São José. Menos da metade estava ocupada e, em quase totalidade dessa ocupação, senhores antigos que pareciam manter a tradição de se encontrarem com amigos. Não vi turistas e somente um casal, além de nós, diferente do biótipo apresentado aqui sobre esse tradicionalismo. A sensação é a de que eles estavam orgulhosos por conseguirem frequentar o local. Ah, se for lá, não deixe de experimentar a tradicional cartola – uma gostosura, como tudo lá.

Outros restaurantes que tivemos vontade de ir após pesquisarmos bastante,
mas não deu tempo:

Entre Amigos Praia – fica na Av. da Boa Viagem, já no bairro novo de Pina, vizinho do Bairro de Boa Viagem e o ambiente é bem legal! Parece que o preço é justo pelo que oferecem.

Buongustaio, como delivery, parece oferecer excelentes opções a um preço razoável. Bem, delivery é um mundo e pode encontrar muitas opções entre pizzas, hambúrgueres, pratos e kibes/esfirras.


No Recife Antigo, há o Bistrô e Boteco, o João e Maria (“self service sem peso” é a propaganda deles) – todos me pareceram bem encantadores, mas caros para que o que ofereciam. Mesmo assim, vi que vários optaram por um deles para depois continuarem a visitar outros pontos turísticos do bairro.

Em Olinda, há boas indicações para o Beijupirá Olinda, a Oficina do Sabor (baião-de-frutos-do-mar, por exemplo) e o Patuá. Há pratos elaborados por chefs em casinhas típicas do local que oferecem a melhor acolhida que podem em local histórico e, talvez por tudo isso, o preço seja um pouco mais caro.

CULINÁRIA

Achavam que esqueceria a dica de receita? Não, claro que não! Pra finalizar, a receita do BOLO SOUZA LEÃO, típico da cidade. O quitute é trabalhoso, feito com massa de mandioca, calda de açúcar com manteiga, leite de coco, gemas e sal. É patrimônio cultural e imaterial de Pernambuco. Dizem que há dúvidas quanto à concepção, mas não quanto à maternidade: Dona Rita de Cássia Souza Leão.

Aprenda também a fazer bolo de rolo aqui e/ou nos vídeos deste link. É uma delícia para comer de vez em quando. Como quero fazer cada vez mais bolos sem glúten, sem lactose e sem açúcar (um dia chego lá) e esse é muito difícil e engordativo, que prefiro comprar, quando der vontade. Mas fica aqui a dica!

Fico por aqui e até Porto de Galinhas, que é nossa próxima parada!

Beijinhos da Sil viajante!!! :-)

0 comentários:

Postar um comentário